SÃO PAULO ANTIGA

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

A partir de fins do século XVIII São Paulo ingressou numa fase de relativa prosperidade. Graças ao comércio de animas provindos do sul do Pais e à incipiente lavoura de cana de açúcar, a modesta cidadezinha da época deu os primeiros passos em direção à intensificação da vida urbana.
Tiveram origem nesses dias muitas obras públicas importantes que estariam aparelhando a cidade ainda em plena época imperial. Mesmo apresentando algumas insuficiências técnicas e aparência bastante grosseira essas obras, fruto da competência profissional de engenheiros militares portugueses, manter-se-iam úteis e insuperáveis até a segunda metade do século XIX. Edifícios públicos de grande porte (Casa de Câmara e Cadeia e Quartel dos Voluntários Reais), pontes de pedra (do Lorena, do Marechal e do Carmo), chafariz monumental (da Misericórdia) e monumento comemorativo (Pirâmide do Piques) acabariam por se tornar símbolos de um período bastante positivo da administração colonial.
Três freguesias constituíam o seu centro urbano - Sé, Santa Ifigênia e Brás -, não atingindo, na época, o total da população paulistana a cifra de dez mil habitantes. Da diminuta área urbanizada partiam rotas em todas as direções, vias que subsistem até hoje, em geral, sob a forma de grandes artérias: para o Norte, a atual Avenida Tiradentes; para o oeste, a Rua das Palmeiras; para o sudoeste a Rua da Consolação; para o leste, a Avenida Rangel Pestana, entre outras.
Por volta de 1807 ou 1808 começou a ser aberta no Morro do Chá a Cidade Nova (atual Centro Novo), para permitir a expansão da área urbana paulistana. Desse arruamento resultaram vias que subsistem até nossos dias (atuas Av. Ipiranga, São João e Rio Branco, por exemplo) e dois novos logradouros: o Largo do Arouche e a Praça da República.
Naquele tempo, era a Câmara Municipal que se encarregava de elaborar as disposições municipais (as chamadas posturas), colocava-as em prática e as fazia observar. Concentrava assim a Câmara o que hoje chamamos de poderes Legislativo e Executivo. E era também de sua competência o Poder Judiciário, já que só no Império seria esse poder transferido para a esfera das Províncias.
Através da leitura dos documentos camarários atualmente guardados no Arquivo Histórico Municipal (Atas da Câmara, Registro Geral e Cartas de Datas), podemos conhecer diferentes aspectos do cotidiano dos habitantes daquele tempo.
A mão-de-obra, por exemplo, compunha-se de escravos principalmente, africanos e seus descendentes nascidos no Brasil, que se encarregavam de todos os trabalhos, domésticos ou agrícolas.
Era nas chácaras localizadas em torno da cidade que se produziam os alimentos consumidos pela população local. As compras do dia-a-dia se faziam ou no mercado, as chamadas Casinhas, ou em tabuleiros de quitandeiras e vendedores ambulantes, atividade sempre desempenhada por escravos.
A falta de água era, contudo, uma constante na cidade. Insuficientemente alimentados, os poucos chafarizes não davam conta de abastecer a população, que tinha de recorrer a outras fontes e às águas pouco salubres do Rio Tamanduateí.
As várzeas deste último rio e do Tietê tinham outras serventias, tais como pasto de animais, coleta de lenha e locais de pesca. Serviam também de passeio público para uma população que gozava de poucas oportunidades de diversão. O Jardim Público só seria inaugurado em 1825 e a Casa da Ópera, embora modesta, era um ambiente de elite. Procissões nos dias de festa religiosa e cavalhadas e touradas em comemoração a acontecimentos ligados à família real (nascimentos e casamentos) constituíam, de fato, as verdadeiras oportunidades de diversão popular.

3 comentários:

ELANE disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ELANE disse...

•.¸॰॰॰♥ ♥॰॰॰¸.••.¸॰॰॰♥॰॰॰¸.••.¸॰॰॰♥ ♥॰॰॰¸.•

ѕίŋтα
σ gσѕтσ đє υм вєίנσ
ρσr υм rєcαđσ мαŋđαđσ
ѕє ƒσr cαραz đє αмαr.

॰॰॰♥ ♥॰॰॰

ѕίŋтα
σ cђєίrσ đє αмσr
qυє ѕє đίƒυŋđє ŋσ αr
ѕє ƒσr cαραz đє ѕσŋђαr.

॰॰॰♥ ♥॰॰॰

ѕίŋтα
υм cσrαçãσ à đίѕтâŋcία
вαтєŋđσ єм ѕєυ ρróρrίσ ρєίтσ
є ѕє αίŋđα ŋãσ єѕтίνєr ѕαтίѕƒєίтσ
relembre nossos momentos,
ѕє ƒσr capaz de lembra; .

॰॰॰♥ ♥॰॰॰

мαѕ ŋãσ ŋєgυє ŋυŋcα
ѕєυѕ ѕєŋтίмєŋтσѕ gυαrđαđσѕ
ŋєм ѕє єŋνєrgσŋђє
đє ѕєr ђυмαŋσ
є тєr υм cσrαçãσ
qυє ŋãσ é đє ρєđrα, qυє вαтє
є qυє é cαραz đє αмαr...
νίνєr... ѕσŋђαr...saudades... de vc...

ELANE disse...

Amizade

Muitas pessoas irão entrar e sair da sua vida
mas somente verdadeiros amigos deixarão pegadas no seu
coração.

Para lidar consigo mesmo, use a cabeça,
para lidar como os outros, use o coração,
raiva é a única palavra de perigo.

Se alguém te traiu uma vez, a culpa é dele;
Se alguém te trai duas vezes, a culpa é sua.

Quem perde dinheiro, perde muito,
Quem perde um amigo, perde mais.
Quem perde a fé, perde tudo.

Jovens bonitos são acidentes da natureza:
Velhos bonitos são obras de arte.

Aprenda também com o erro dos outros,
você não vive tempo suficiente para cometer
todos os erros.

Amigos você e eu...
Você trouxe outro amigo...
Agora somos três...
Nós começamos um grupo...

Nosso círculo de amigos...
E como um círculo,
não tem começo nem fim...

Ontem é história:
Amanhã é mistério,
Hoje uma dádiva,

É por isso que é chamado presente...

ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

 
Design by: Searchopedia convertido para o Blogger por TNB